Uma coisa interessante de se perguntar no contexto de uso de apps: como está o mercado tecnológico do país e para onde ele vai?

Todos querem saber como vai a tecnologia no Brasil e se “antenar” às tendências do mercado. Muitos aplicativos podem surgir e sumir rápido: Pokémon GO explodiu e sumiu na mesma velocidade, entre outros.

Por isso, o mercado de informação é tão ágil e você precisa acompanhar na mesma velocidade. Prossiga com a leitura do artigo e veja como andam os apps no mercado tecnológico do Brasil.

 

Como andam os apps no cenário tecnológico do Brasil?

É certo que existem algumas dificuldades para a tecnologia no Brasil, com algumas tarifas altíssimas, mas, mesmo assim, o público é receptivo. Não só a tecnologia é abraçada, como também, em específico, os aplicativos.

Inclusive, Brasil é campeão mundial em uso de apps por dia, em estudo divulgado pela App Annie. O brasileiro usa em média 12 aplicativos a cada 24 horas no smartphone!

Ainda em média, o brasileiro possui 83 aplicativos no celular, 41 sendo usado de forma ativa por até 3 horas diárias de uso. Porém não fica claro, se de apps instalados ou que já foram baixados alguma vez.

E em termos de downloads? Quarto colocado, com mais de 6 bilhões de downloads feitos. E a promessa é continuar apenas crescendo em número.

Segundo a mesma App Annie, em 2022 é previsto que o Brasil supere o número de 8 bilhões de downloads. Isso deixa o país atrás apenas dos EUA, Índia e China.

Fora que de 2015 para cá, o crescimento dos downloads foi de 20% ou mais. Esses dados mostram como o Brasil se torna um mercado emergente nesse quesito, um dos de crescimento mais rápido nesse setor.

Paralelo aos apps, esse é o ano para os smartphones e tablets serem foco de transformação digital, com demanda de 3,5 milhões de dispositivos móveis. Isso é 6% do total de vendas no Brasil.

Junto disso, a Internet das Coisas (IoT) possui chance de avançar rapidamente no mercado, com mais de 4% das residências no País possuindo a tecnologia. A previsão é de 612 bilhões no mercado doméstico para a Internet das Coisas.

 

Principais áreas para usos de apps no Brasil

  • Comunicação: O mais popular, possui milhões usuários brasileiros conectados em aplicativos como Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp, entre outros.

Inclusive, outros tem crescido, como o WhatsApp Business, Discord (para gamers) e Telegram;

  • Social: Apesar do nome comumente ser relacionado com redes sociais, em época de eleição, aplicativos como e-Título, Bolsa Família e Caixa Trabalhador se tornaram mais pesquisados.

Aplicativos relacionados às empresas e vagas também surgem, apesar desses primeiros se encontrarem mais na área de compras.

  • Compras: Oferecendo produtos que saem mais em conta do que o tradicional, ou apenas lojas oferecendo maior praticidade. Aplicativos como AliExpress, OLX e GearBest acabam se sobressaindo.

 

Mas também há aplicativos que indicam as promoções mais quentes no mercado, como o Pelando, Zoom e o Enjoei.

  • Fotografias: Não há muito o que dizer, pois em tempos de grande popularidade das redes sociais, aplicativos de edição rápida chamam atenção, principalmente edições divertidas.
  • Entretenimento: Sempre em alta, vai de jogos à aplicativos de vídeos curtos ou de streaming à aplicativos de música e pacote de emojis. Sempre diverso, é onde surgem muitos apps.

 

Previsões para os apps: quais as tendências para o mercado de aplicativos em 2018/2019?

As tendências se diversificam em diferentes direções, mas algumas sempre permanecem. As redes sociais, por exemplo, continuam as prediletas do público: com WhatsApp, Facebook, Instagram em alta.

Uber continua estável, mas agora com maior disputa de outras opções de transporte. Já aplicativos como Mercado Livre e Ali Express continuam no topo, com maior crescimento do GearBest.

Tópicos que chamam a atenção em 2018 são inteligência artificial e realidade aumentada. O primeiro é foco das empresas, buscando maior interação com o público mobile.

Já o segundo explodiu com Pokémon GO, mas você pode ver isso em apps de imobiliárias, simulando o resultado final dos imóveis.

2018 também é ano de eleição e empreendedorismo social ganha maior espaço nesse meio. Apps de transporte coletivo, mostrando horário e itinerário, ou mesmo trazendo maior transparência entre o eleitorado e o político, surgem.

E para 2019, a tendência é permanecer nesse espectro social e tecnológico. Inteligências artificias como a Bia do Bradesco começam a surgir e a realidade aumentada ainda é a queridinha do público.

Além disso, a evolução constante dos celulares acarretará em apps que cada vez mais forcem melhor desempenho do aparelho. É a oportunidade de ouro de pescar sua chance no mercado.

Leave a Reply

CREATE YOUR APP